Pular para o conteúdo principal

Análise do PES 2017

Que beleza! PES 2017 evolui e mostra ser o melhor da franquia até hoje

Entra ano e sai ano e quando chegamos a meados de setembro e outubro os jogadores aficionados pelo futebol digital novamente se perguntam: “quem vencerá a disputa esse ano, FIFA ou PES”? Nos últimos anos, a taça esteve com a franquia FIFA, mas PES 2017 parece disposto a engrossar a briga pelo título.
A versão brasileira traz novamente a narração de Milton Leite, com comentários de Mauro Beting. Testamos as versões do game para PS4 e PC e, graficamente, há diferenças gritantes entre eles, com vitória de goleada para os consoles. A nossa opinião sobre o jogo é o que você confere agora.

Melhorias gráficas significativas (nos consoles)

Tecnicamente, existem dois jogos: as versões para PS4 e Xbox One e a versão para PC. A versão dos consoles é, de fato, um avanço significativo para a série, com melhorias gráficas, técnicas e de jogabilidade em praticamente todos os aspectos. Não é exagero algum afirmar que esse é o melhor jogo da série já entregue pela Konami.
Publicidade
Análise do PES 2017
As texturas de pele, o comportamento dos torcedores, a movimentação dos jogadores com e sem a bola, tudo está mais fluido e natural. O resultado disso é uma experiência que, plasticamente, se assemelha muito mais a aquilo que você está acostumado a assistir na TV. Os passes em profundidade e os toques na bola durante a condução também estão mais precisos.
Infelizmente, o mesmo não se pode dizer da versão para PC. Se em termos técnicos é possível notar algumas boas melhorias, graficamente o jogo parece ter saído direto de uns dois ou três anos atrás. Falta polimento, texturas, efeitos de luz e sombra... A verdade é que a versão para PC destoa completamente do que se espera de um game de nova geração.

Movimentação tática mais eficiente

Um dos pontos mais nítidos de evolução do game está também na forma como os jogadores se comportam, principalmente quando não estão com a bola. Isso significa que o posicionamento tático proposto por um clube é seguido à risca – o que tem o seu lado bom e o lado ruim. Pensando em termos defensivos, essa é uma garantia de que aquela escalação tática que você definiu será, de fato, colocada em prática.
Análise do PES 2017
Por outro lado, estudar as formações dos adversários passa a ser um diferencial e tanto na hora de definir a sua própria tática ou mesmo ao criar uma jogada durante a partida. O tempo de resposta na marcação e a recuperação dos jogadores após perderem uma bola agora são mais eficientes. Isso diminui a correria e deixa o jogo um pouco mais cadenciado, um comportamento mais próximo das partidas de verdade.

Goleiros mais inteligentes (ou menos burros)

Quem está acostumado com os jogos da franquia sabe que os goleiros sempre foram um grande problema. Lentos e com movimentos limitados, não é muito difícil entender o comportamento deles para logo encontrar as brechas que vão permitir a você fazer um gol atrás do outro sempre seguindo a mesma lógica.
Em PES 2017, houve um avanço significativo nesse ponto. A movimentação deles está mais realista e, de fato, eles dão um pouco mais de trabalho, conseguindo defesas plasticamente fantásticas. Além disso, eles se comportam de maneira um pouco mais inteligente, digamos assim, sendo mais difícil, mas não impossível, encontrar padrões de comportamento. Você vai suar um pouco mais para fazer gols – mas em contrapartida vai ter um pouco mais de segurança na sua defesa.
Análise do PES 2017

Times imaginários e licenciamentos não autorizados

Assim como na versão 2016, infelizmente algumas licenças de uso de nomes de times, competições e marcas não foram conseguidas pela Konami. Isso faz com que parte do brilho do espetáculo se perca em muitos momentos. Por exemplo, um jogo entre Real Madrid e Juventus perde bastante com as versões “inspiradas” nos grandes clubes. Já a Taça Libertadores da América sofre com a inclusão de uma série de times imaginários e que sequer fazem referência a similares.
A boa notícia para nós brasileiros, porém, está na inclusão dos principais times do Campeonato Brasileiro, com uniformes licenciados e jogadores reais. Essa é, sem dúvida, uma grande vantagem em relação ao FIFA, uma vez que somente no game da Konami você vai encontrar os times nacionais.

Problemas na edição da dublagem brasileira

A volta de Milton Leite às narrações de Pro Evolution Soccer é outra novidade da franquia para este ano. A dupla com Mauro Beting é afinada e dá pra dizer que o resultado é bem satisfatório, apesar de ficar sensação de ouvirmos um Milton Leite mais contido nas narrações do game.
Análise do PES 2017
Entretanto, há outro problema na dublagem, muito mais relacionado à edição de áudio do que ao trabalho dos dois profissionais. Há nítido desencaixe do tom das narrações, o que faz com que na maioria das vezes que os narradores mencionem o nome de um time ou de um jogador, o termo soe desconexo do restante da frase. Novamente, esse um problema bem pequeno diante de tudo que o jogo oferece, mas ainda assim se torna um incômodo com o passar do tempo.

Vale a pena?

A jogabilidade de PES 2017, se comparada aos títulos de anos anteriores, está melhor. O game está mais divertido, com gráficos mais realistas e apresenta jogadores que se comportam de forma mais inteligente do que antes. Ou seja, há motivos de sobra para afirmar que, sim, houve uma evolução significativa na franquia para a edição deste ano.
Isso não impede, entretanto, que alguns problemas pontuais possam tirar um pouco da graça do jogo. Sem dúvida, a falta de algumas licenças para usar certos times de forma completa é o ponto que mais deve deixar chateados os jogadores – porém esse não é um problema exclusivo da série Pro Evolution, já que FIFA também sofrerá do mesmo mal. Já a versão para PC, infelizmente, parece ter sido abandonada à própria sorte e se a jogabilidade não foi comprometida, graficamente o título está muito distante da experiência que poderia entregar.
A comparação com FIFA, nesse caso, é inevitável. Diferente dos dois últimos anos, quando o game da EA ganhou de goleada, dessa vez é possível afirmar que ambos estão novamente em pé de igualdade, com uma ligeira vantagem para a versão da Konami. Porém, a vitória é sutil, como se fosse com um gol aos 45 minutos do segundo do tempo. Dentro de campo, PES vence. Fora das quatro linhas, aí o mérito segue sendo da série FIFA.
90PS4
Excelente
"Sem dúvida, esse é o melhor jogo da franquia já lançado, ao menos nos consoles. Já a versão para PC parece um jogo de dois anos atrás"
pontos positivos
  • Melhorias significativas na jogabilidade
  • Melhoria na IA dos goleiros
  • Clubes brasileiros licenciados
  • Maior atenção às movimentações táticas
pontos negativos
  • Problemas de sincronia de áudio na dublagem brasileira
  • Versão para PC com gráficos horríveis
  • Falta de licenciamento de grandes clubes internacionais
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ZGB Start: Cadê o anúncio? Imagem inédita praticamente confirma novidade de Red Dead

Cadê o anúncio? Imagem inédita praticamente confirma novidade de Red Dead No último domingo, a Rockstar divulgou uma imagem que deixou muita gente imaginando que, em breve, teríamos algum anúncio relacionado à série Red Dead. E, pelo visto, quem apostava nisso pode começar uma contagem regressiva interna, pois uma nova pista surgiu na rede social. Como é possível ver na imagem que está na sequência, temos sete caubóis caminhando em um cenário com um pôr do Sol que seria visível em qualquer cenário de Velho Oeste. Sendo assim, resta aos fãs da série apenas aguardar um anúncio oficial da parte da Rockstar, e esse possivelmente será de um título inédito. Ver imagem no Twitter Rockstar Games

Análise do Mafia 3

Com glamour ameaçado, Mafia 3 se sustenta, mas esquece várias raízes Em primeiro lugar, e para dirimir eventuais dúvidas, preciso ser direto e reto: foi duro analisar Mafia 3. Não por causa do caráter técnico ou de outras ressalvas dissertadas nesta análise, mas sim porque sou ultrafã da franquia, da temática e do gênero, e sabemos que isso pode embaçar o julgamento. Sou fã de carteirinha de Mario Puzo, que assina “O Poderoso Chefão”, John Grisman, Joseph D. Stone (que concebeu o livro responsável por inspirar o filme “Donnie Brasco”) e outros autores do charmoso gênero mafioso, do qual, como bom ascendente italiano e degustador de massas, sou adepto. Eu estava sedento por Mafia 3. Mais do que estou por Final Fantasy XV, mais do que estive por Gears of War 4 e Uncharted 4, muito mais do que estou com os shooters da próxima safra,Titanfall 2Battlefield 1Call of Duty: Infinite Warfare e afins. Mafia 3 era, definitivamente, o jogo que eu mais aguardava este ano. Seis anos após o lançam…

ZGB Start: Rockstar mostra ápice do primor técnico em trailer de Red Dead Redemption 2 / Nintendo Switch: novo console modular pode ser jogado em qualquer lugar

Rockstar mostra ápice do primor técnico em trailer de Red Dead Redemption 2 O primeiro trailer de Red Dead Redemption 2 é real. Dois dias após prometer essa divulgação, a Rockstar publicou um material ainda escasso de informações, mas suficiente para mostrar, a todos nós, que a equipe de desenvolvimento dela faz o que bem quer com as gerações de consoles. O que vemos no vídeo adiante – rodando em tempo real, aparentemente – é um visual que explora os limites do PlayStation 4 e do Xbox One, seja em densidade de vegetação, em tamanho de mundo, em atmosfera spaghetti, em equalização entre luz e sombra, em fumaça, em partículas ou em água. Ou em o que você quiser. Por enquanto, esse primor técnico sobrepõe quaisquer outros elementos relacionados à história ou aos personagens. Ainda não se sabe, por exemplo, se o pistoleiro que monta no cavalo e sai em debandada junto a seis outros parceiros é John Marston em seus tempos áureos como um fora-da-lei. O primeiro Red Dead Redemption foi lançado e…