Pular para o conteúdo principal

ZGB Start: 5 jogos que mereciam mais destaque devido à sua trilha sonora

Opinião: 5 jogos que mereciam mais destaque devido à sua trilha sonora

Opinião: 5 jogos que mereciam mais destaque devido à sua trilha sonora

O que é mais importante em um jogo? Gráficos impecáveis, enredo inesquecível ou jogabilidade precisa? Essa pergunta pode gerar uma verdadeira guerra entre os gamers, e a única certeza existente é a de que nunca haverá consonância na resposta. Entretanto, em meio às grandes produções da nova geração que apostam em gráficos ultrarrealistas ou aos jogos do cenário indie que trazem uma jogabilidade inovadora, temos aqueles títulos que, entre outras coisas, nos trazem uma trilha sonora marcante.
É fato que as músicas de um game podem marcar a vida do jogador. Mas, por vezes, a crítica especializada e os próprios players acabam deixando esse universo em um segundo plano, de forma que a trilha sonora se torna algo subjacente, e não o aspecto principal.
Pensando nisso, quantos jogos com uma soundtrack impecável não foram esquecidos devido à sua baixa popularidade? Ou aos seus gráficos ruins, jogabilidade confusa ou pelas suas poucas vendas?
Esta matéria traz cinco títulos que, apesar dos pesares, deixaram sua marca por possuírem uma trilha sonora memorável — independente das falhas ou problemas nos demais quesitos. Em outras palavras, são games que mereciam mais destaque mesmo com a baixa vendagem ou as críticas negativas, pois ainda hoje podem ser lembrados por conta de suas músicas bem produzidas e com uma qualidade acima da média.

5 – Gex: Enter the Gecko

Gex: Enter the Gecko é um game de plataforma produzido pela Crystal Dynamics e lançado em 1998 para Playstation, Nintendo 64 e Microsoft Windows. O jogo é o segundo da série e o primeiro a investir na ambientação tridimensional.
Gex tem fãs até hoje e obteve um considerável sucesso na época. Mas a segunda aventura da lagartixa recebeu duras críticas da mídia especializada (em especial na versão do N64) principalmente pela dificuldade de se controlar o personagem e a câmera, algo que dificultava bastante a jogabilidade.
Apesar dos problemas, o game conta com músicas muito boas — mesmo trazendo alguns efeitos sonoros questionáveis —, construindo um universo que busca satirizar diversos filmes e elementos da cultura pop. Sendo assim, os temas se inspiram em grandes obras do segmento cinematográfico. Essa proposta originou músicas muito bem produzidas e de diversos estilos, dignas de estarem nesta lista.
A saga de Gex, apesar de presente na memória de muitos fãs, acabou sendo esquecida pela indústria ao longo dos anos. Mas suas características marcantes, como a desenvoltura do protagonista, o enredo cômico e uma soundtrack de qualidade são suficientes para que seu legado perdure até os dias atuais. 

4 – Jet Force Gemini

Jet Force Gemini é um jogo de ação e tiro em terceira pessoa lançado para o Nintendo 64 em 1999 e é uma das produções da Rareware, empresa responsável por grandes nomes, como Banjo-Kazooie, Killer Instinct, Perfect Dark, Conker’s Bad Fur Day, entre outros.
É inegável que o game teve um sucesso considerável no console da Big N, recebendo boas avaliações da crítica e dos jogadores. Porém, em meio a outras grandes obras da Rare, Jet Force Gemini acabou não recebendo todo o destaque que com certeza merecia, principalmente após a aquisição da empresa pela Microsoft. Dessa forma, esperar uma continuação para o título é praticamente um sonho distante. Apesar disso, entre todas as qualidades do jogo, é preciso destacar a trilha sonora.
Jet Force Gemini aposta em uma ambientação de ficção científica, em que as músicas se encaixam perfeitamente. Claro que trilha sonora de qualidade produzida pela Rare não é nenhuma novidade, mas o game em questão se destaca por trazer temas maduros, focados na ação e com uma qualidade admirável — o que chama atenção devido ao fato dos cartuchos do Nintendo 64 possuírem limitações nesse aspecto quando comparados aos CDs da mesma época.  

3 – Musashi: Samurai Legend

Musashi: Samurai Legend é um game de aventura com elementos de RPG produzido pela Square Enix e lançado exclusivamente para o Playstation 2 em 2005, sendo uma sequência do game Brave Fencer Musashi, lançado para o console pioneiro da Sony.
Samurai Legend surgiu graças à recepção positiva de seu antecessor, mas sua chegada ao PS2 foi acompanhada de notas ruins e algumas críticas severas, não se tornando assim um sucesso comercial.
Apesar de não receber uma recepção tão boa quanto a do primeiro título, o jogo trouxe uma experiência cativante com uma boa dose de diversão e uma trilha sonora memorável. As músicas de Samurai Legend passeiam entre vários gêneros condizendo com diferentes contextos, como luta contra chefes, momentos dramáticos e ação frenética. Tudo é muito bem produzido, ambientando o jogador na atmosfera do game.

2 – Ecco the Dolphin: Defender of the Future

Ecco the Dolphin: Defender of the Future é o quarto título da série produzido pela Sega e lançado em 2000 para o Dreamcast — um video game que, apesar de ter arrebatado muitos fãs, não foi um sucesso comercial. Apesar disso, o jogo foi relançado em 2002 para o Playstation 2.
Ecco the Dolphin: Defender of the Future é um game de aventura single player pelo qual o jogador assume o papel de um golfinho que nada por cenários com gráficos impressionantes para a época. O título recebeu algumas boas notas da crítica, mas a baixa popularidade do Dreamcast somada às características bastante peculiares em se controlar um golfinho fizeram com que o game não obtivesse a recepção merecida.
Contudo, a soundtrack do jogo é memorável. As músicas compostas por Tim Follin são maravilhosas e se encaixam perfeitamente no game. Experimente ouvi-las utilizando fones de ouvido: os instrumentos de orquestra harmonizam temas muito bem produzidos, dignos de uma verdadeira superprodução.

1 – Shinobi

Shinobi é um título de ação e aventura com elementos de "hack and slash". Ele foi lançado em 2002 pela Sega para o Playstation 2, compondo assim uma série de jogos homônima que teve início no Master System. O game foi planejado inicialmente para o Dreamcast, mas, devido à descontinuação do console, o projeto foi portado para o PS2.
Recebendo boas notas da crítica, Shinobi trouxe uma aventura interessante, tornando suas vendas significativas e originando uma sequência intitulada de Nightshade em 2004.
Apesar de seu relativo sucesso, o game figura nesta lista por ter sido ofuscado perante a outros títulos do gênero lançados no mesmo período, principalmente por Devil May Cry. Com isso, Shinobi obteve uma popularidade abaixo da merecida, o que de forma alguma anula sua trilha sonora de ótima qualidade.
As músicas misturam elementos tipicamente orientais com uma pegada eletrônica e um estilo frenético, todas que se encaixam perfeitamente na proposta do game. Algumas das trilhas do jogo são inesquecíveis e jamais serão apagadas com o tempo.
Opinião: 5 jogos que mereciam mais destaque devido à sua trilha sonora
Para figurar entre os mais vendidos, muitas vezes um jogo precisar equilibrar diversos aspectos positivos, como jogabilidade, gráficos e enredo, entre várias outras coisas. No entanto, isso acaba fazendo com que alguns títulos com elementos inesquecíveis sejam ofuscados, e o objetivo desta lista foi trazer alguns games que, devido à sua trilha sonora, merecem estar no coração dos jogadores.
É preciso salientar que os jogos não estão listados em ordem de importância e que trazer apenas cinco nomes não é suficiente para representar o universo dos títulos que mereciam mais destaque por suas músicas memoráveis. Mas é para isso que existem os comentários! Em sua opinião, qual jogo, apesar de não obter o sucesso merecido, merecia estar nesta lista graças à trilha sonora inesquecível?
Artigo de opinião enviado pelo leitor Braian Garrito Veloso.
FONTES
Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

ZGB Start: Cadê o anúncio? Imagem inédita praticamente confirma novidade de Red Dead

Cadê o anúncio? Imagem inédita praticamente confirma novidade de Red Dead No último domingo, a Rockstar divulgou uma imagem que deixou muita gente imaginando que, em breve, teríamos algum anúncio relacionado à série Red Dead. E, pelo visto, quem apostava nisso pode começar uma contagem regressiva interna, pois uma nova pista surgiu na rede social. Como é possível ver na imagem que está na sequência, temos sete caubóis caminhando em um cenário com um pôr do Sol que seria visível em qualquer cenário de Velho Oeste. Sendo assim, resta aos fãs da série apenas aguardar um anúncio oficial da parte da Rockstar, e esse possivelmente será de um título inédito. Ver imagem no Twitter Rockstar Games

Análise do Mafia 3

Com glamour ameaçado, Mafia 3 se sustenta, mas esquece várias raízes Em primeiro lugar, e para dirimir eventuais dúvidas, preciso ser direto e reto: foi duro analisar Mafia 3. Não por causa do caráter técnico ou de outras ressalvas dissertadas nesta análise, mas sim porque sou ultrafã da franquia, da temática e do gênero, e sabemos que isso pode embaçar o julgamento. Sou fã de carteirinha de Mario Puzo, que assina “O Poderoso Chefão”, John Grisman, Joseph D. Stone (que concebeu o livro responsável por inspirar o filme “Donnie Brasco”) e outros autores do charmoso gênero mafioso, do qual, como bom ascendente italiano e degustador de massas, sou adepto. Eu estava sedento por Mafia 3. Mais do que estou por Final Fantasy XV, mais do que estive por Gears of War 4 e Uncharted 4, muito mais do que estou com os shooters da próxima safra,Titanfall 2Battlefield 1Call of Duty: Infinite Warfare e afins. Mafia 3 era, definitivamente, o jogo que eu mais aguardava este ano. Seis anos após o lançam…

ZGB Start: Rockstar mostra ápice do primor técnico em trailer de Red Dead Redemption 2 / Nintendo Switch: novo console modular pode ser jogado em qualquer lugar

Rockstar mostra ápice do primor técnico em trailer de Red Dead Redemption 2 O primeiro trailer de Red Dead Redemption 2 é real. Dois dias após prometer essa divulgação, a Rockstar publicou um material ainda escasso de informações, mas suficiente para mostrar, a todos nós, que a equipe de desenvolvimento dela faz o que bem quer com as gerações de consoles. O que vemos no vídeo adiante – rodando em tempo real, aparentemente – é um visual que explora os limites do PlayStation 4 e do Xbox One, seja em densidade de vegetação, em tamanho de mundo, em atmosfera spaghetti, em equalização entre luz e sombra, em fumaça, em partículas ou em água. Ou em o que você quiser. Por enquanto, esse primor técnico sobrepõe quaisquer outros elementos relacionados à história ou aos personagens. Ainda não se sabe, por exemplo, se o pistoleiro que monta no cavalo e sai em debandada junto a seis outros parceiros é John Marston em seus tempos áureos como um fora-da-lei. O primeiro Red Dead Redemption foi lançado e…